Fale conosco pelo WhatsApp

Cirurgia de Hérnia Umbilical

 

Barriga enfaixada de esparadrapo
Imagem: Shutterstock

Intervenção visa corrigir a alteração, prevenindo complicações graves como encarceramento da hérnia de umbigo

A cirurgia de hérnia umbilical é o único tratamento capaz de corrigir o abaulamento que surge na região do umbigo, um problema relativamente comum e que ocorre quando há algum defeito ou enfraquecimento na parede abdominal umbilical. Neste tipo de alteração, o paciente apresenta um orifício na musculatura da região, por onde os órgãos internos extravasam e formam a hérnia.

Essa formação geralmente é indolor, embora existam casos em que o paciente sinta desconfortos que podem se intensificar durante a realização de esforço físico, como levantar peso ou se abaixar para pegar algum objeto no chão. Mesmo nos casos em que esses sintomas não são manifestados pelo paciente, a cirurgia de hérnia umbilical deve ser considerada para que a condição não se agrave.

Hérnia umbilical: causas

Quando o bebê ainda está em desenvolvimento no útero materno, a comunicação entre a placenta e o feto é feita pelo cordão umbilical. Formado por músculos e outros tecidos, o anel umbilical é um orifício que fica localizado na porção do abdômen onde o cordão umbilical se liga ao corpo do feto, permitindo a passagem dos vasos sanguíneos do cordão umbilical. Após o nascimento, o anel umbilical perde sua função, cicatrizando e fechando naturalmente.

Por ter abrigado o cordão umbilical, a região da musculatura do abdômen que fica próxima ao umbigo tende a ser mais fraca. Em algumas pessoas, o processo de cicatrização do anel umbilical pode não ocorrer por completo, favorecendo assim a ocorrência da hérnia de umbigo. Se, ao longo da vida, o indivíduo adotar hábitos que favoreçam ainda mais essa fragilidade ou forçar demais a região abdominal, maiores são as chances de o problema se desenvolver.

Nesse sentido, alguns dos principais fatores de risco para a hérnia umbilical são:

  • Tabagismo;
  • Doenças do colágeno;
  • Gravidez;
  • Prática de exercícios de alta intensidade;
  • Obesidade

Sintomas e diagnóstico da alteração

O principal sinal clínico que indica a presença de uma hérnia umbilical é o aparecimento de um abaulamento indolor na área do umbigo do indivíduo. Na maior parte dos casos, essa protuberância é indolor e só pode ser observada quando o paciente faz algum tipo de esforço abdominal, tal como tossir ou levantar peso. Caso haja complicação, o paciente pode manifestar sintomas mais específicos como:

  • Dor localizada;
  • Endurecimento da região;
  • Enjoos;
  • Vermelhidão local.

O diagnóstico da hérnia pode ser feito a partir da identificação visual da protrusão abdominal, sendo confirmado por exames de imagem.

Quando a cirurgia de hérnia umbilical é indicada?

A cirurgia de hérnia umbilical é a única opção de tratamento e cura para a alteração, sendo recomendada para evitar que a condição evolua e apresente complicações como o encarceramento — situação em que a porção do órgão extravasado fica presa e sem receber uma quantidade adequada de sangue. Quando esta complicação ocorre, pode haver necrose do órgão afetado.

Quando o quadro evolui para o encarceramento, pode ser necessária uma cirurgia emergencial para evitar riscos à vida e saúde do paciente. O ideal é, assim que for diagnosticada a hérnia umbilical, o paciente discuta com o especialista as opções de tratamento e riscos associados à condição. A indicação e execução da cirurgia de hérnia umbilical deve ser sempre avaliada por um médico especializado em hérnias abominais.

Como é feita a cirurgia de hérnia umbilical?

Entenda como é a cirurgia de hérnia umbilical. Também chamada de hernioplastia ou herniorrafia, ela pode ser realizada a partir de três métodos distintos. São eles:

Cirurgia aberta

Este é o procedimento tradicional, em que o cirurgião faz uma incisão na região umbilical e reposiciona o órgão extravasado. Em seguida, a parede abdominal que se rompeu e formou a hérnia é devidamente suturada. Pode ser colocada uma tela cirúrgica para reforçar a musculatura da região, mas essa avaliação é feita caso a caso.

Cirurgia por videolaparoscopia

Esta é uma técnica minimamente invasiva, em que são realizadas três pequenas incisões na região para a introdução de uma câmera e instrumentos cirúrgicos. Em geral, esta técnica é mais indicada para hérnias maiores ou que já foram operadas anteriormente, embora a recomendação necessite da avaliação criteriosa de um médico.

Cirurgia robótica

A metodologia robótica de cirurgia de hérnia umbilical é a mais moderna, sendo executada por um robô que é controlado por um cirurgião.

Em todos os casos, a hernioplastia é realizada com o paciente anestesiado e devidamente acompanhado por uma equipe especializada em cirurgia de hérnia umbilical. Um acompanhamento pós-operatório adequado e orientado também é fundamental para a completa recuperação do indivíduo que foi submetido ao procedimento.

Como é a recuperação da cirurgia de hérnia de umbigo?

O pós-operatório da cirurgia de hérnia umbilical depende diretamente da técnica aplicada, do tamanho da hérnia que foi tratada e da complexidade geral do procedimento. De modo geral, a intervenção demanda que o paciente fique internado entre 1 e 4 dias e, após a alta hospitalar, é necessário que ele adote alguns cuidados simples em casa. São eles:

  • Repouso relativo, principalmente na primeira semana após o procedimento;
  • Não carregar peso ou praticar exercícios físicos até liberação médica;
  • Priorizar a ingestão de alimentos ricos em fibras para evitar a prisão de ventre;
  • Tomar as medicações prescritas pelo médico, comparecendo também às consultas de retorno.

Em geral, os pacientes se recuperam bem em cerca de 2 semanas, sendo gradualmente liberados para retomar sua rotina após esse período.

Como melhorar a cicatrização após a cirurgia?

A recuperação da cirurgia de hérnia umbilical costuma ser simples, sendo muito raro que o paciente apresente complicações relacionadas ao procedimento. Apesar disso, é possível adotar alguns cuidados para favorecer o processo de cicatrização e garantir maior conforto do indivíduo. As principais recomendações incluem:

  • Seguir todas as recomendações médicas;
  • Ao tossir, colocar as mãos ou um travesseiro sobre os pontos;
  • Lavar os pontos incisionais normalmente, secando-os com uma toalha macia;
  • Usar cinta abdominal quando recomendado pelo médico;
  • Hidratar-se adequadamente.

Cuidados para evitar infecções

Outro cuidado essencial que diz respeito à recuperação cirúrgica é com as infecções pós-operatórias. Nesse sentido, é importante deixar a ferida sempre limpa e seca, bem como lavar bem as mãos antes de lidar com os curativos.

É possível prevenir reincidências da hérnia umbilical?

Para impedir a reincidência do problema, muitas vezes é indicado a inclusão da implantação de uma tela para reforçar a parede abdominal. Além disso, é recomendado que o paciente adote cuidados preventivos para reduzir a pressão no abdômen, tais como:

  • Manter um peso corporal adequado, evitando ganhar peso após a cirurgia;
  • Adotar uma dieta equilibrada e rica em fibras;
  • Na medida do possível, evitar e prevenir constipação intestinal;
  • Não fumar;
  • Levantar peso com cuidado;
  • Consultar-se regularmente com um médico para identificação precoce de alterações em geral.

Quais são os riscos da cirurgia de hérnia umbilical?

A cirurgia de hérnia umbilical é um tratamento bastante seguro e que oferece poucas chances de complicação pós-operatória. Apesar disso, toda intervenção médica apresenta riscos, como:

  • Sangramento;
  • Equimoses;
  • Hematomas;
  • Acúmulo de líquido na região operada;
  • Infecções superficiais no corte;
  • Lesões internas ou infecções mais graves e profundas.

Todos esses riscos são apresentados ao paciente antes da realização da cirurgia de hérnia umbilical e avaliados criteriosamente pela equipe médica responsável pelo tratamento.

Por que a hernioplastia umbilical é importante?

Uma vez que muitos pacientes com este tipo de hérnia abdominal não apresentam sintomas ou desconfortos, é comum que eles questionem sobre a real necessidade de se submeter à cirurgia de hérnia umbilical. Como foi dito, entretanto, a intervenção é a única maneira efetiva de tratar o problema e evitar complicações de uma hérnia não tratada. Cada paciente deve discutir com seu médico as opções e riscos envolvidos.

O tratamento por meio da cirurgia de hérnia umbilical é um método eficaz, mas que demanda avaliação prévia e acompanhamento especializado. Para saber mais sobre o assunto, agende uma consulta com os especialistas da Hérnia Clinic.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal

Centro Especializado em Hérnia — Hérnia Clinic