Fale conosco pelo WhatsApp

Como é feita a herniorrafia inguinal?

Médico examinando abdômen de paciente antes da herniorrafia inguinal
25fev, 2020

A hérnia inguinal consiste em uma protrusão de gordura ou órgãos de dentro do abdome por meio de um orifício originado na parede abdominal na região da virilha. O tratamento é cirúrgico por meio da herniorrafia inguinal.

Os pacientes mais suscetíveis a este tipo de hérnia são os homens, e a protuberância ocorre devido a um ponto de enfraquecimento dos músculos abdominais nessa região. A realização da herniorrafia deverá ser recomendada por um especialista em hérnia após diagnóstico correto da patologia.

A hérnia inguinal pode ocorrer em pessoas adultas, estando geralmente associada a problemas do colágeno ou ao esforço físico com pressão na barriga, e também em bebês e crianças, sendo causada por problemas congênitos de abertura da musculatura na região da virilha.

A seguir conheça mais sobre a herniorrafia inguinal, entendendo como ela é realizada e quais os cuidados pré e pós-operatórios.

Como é realizada a herniorrafia inguinal?

A herniorrafia inguinal consiste no procedimento cirúrgico recomendado para tratamento da hérnia. O uso de medicamentos pode ser associado, mas eles só contribuem para a redução e controle dos sintomas — que podem incluir dor, queimação, e peso na região.

Existem diferentes condutas que podem ser adotadas na herniorrafia inguinal e a definição da técnica cirúrgica mais adequada depende de fatores como o estado de saúde do paciente e as características da hérnia inguinal.

Cirurgia aberta

A cirurgia aberta de herniorrafia inguinal é a técnica mais tradicional e antiga, sendo considerada um tratamento de média complexidade. Para realização do procedimento é usada a anestesia local com sedação, raquianestesia ou anestesia geral. O especialista faz uma incisão cirúrgica na região da protuberância da hérnia, abrindo os tecidos.

Ao visualizar as estruturas internas, o especialista recoloca o conteúdo dentro da cavidade abdominal pelo orifício de saída e reforça a musculatura com auxílio de uma tela de polipropileno que impede a reincidência da hérnia.

Cirurgia laparoscópica

Um protocolo mais moderno da herniorrafia é a laparoscopia. Esse é considerado um tratamento minimamente invasivo, reduzindo o tempo de recuperação, a dor pós-operatória e minimizando a cicatriz cirúrgica.

Nessa técnica são realizadas três pequenas incisões próximas ao umbigo e utiliza-se uma câmera para ampliar a visão que o especialista tem das estruturas internas, facilitando o manuseio dos instrumentos cirúrgicos.

A herniorrafia por videolaparoscopia demanda anestesia geral, pois o paciente deve permanecer com a musculatura relaxada durante a técnica, que tem duração média de 60 minutos — tempo em que é recolocado o órgão na cavidade abdominal e reforçada a parede do abdômen com a tela cirúrgica.

Como é a recuperação da herniorrafia?

Como visto, pacientes submetidos à herniorrafia por videolaparoscopia têm um trauma cirúrgico menor, o que faz com que o pós-operatório também seja mais tranquilo.

No caso da hernioplastia clássica, a recomendação é que o paciente fique internado entre 12 e 24h para monitoramento dos sinais vitais e avaliação da região operada. Posteriormente, são necessários cuidados pós-operatórios por cerca de duas semanas, incluindo:

  • Evitar dobrar o tronco repetidamente ou de forma brusca;
  • Evitar pegar peso;
  • Comer alimentos ricos em fibras e tomar água para ajudar no funcionamento intestinal e evitar prisão de ventre ou ressecamento;
  • Tomar todos os medicamentos recomendados pelo médico.

Independentemente da técnica cirúrgica adotada na herniorrafia a indicação é que o paciente se mantenha atento quanto aos cuidados pós-operatórios, evitando fazer esforço ou ficar muito tempo sentado.

O avanço da cirurgia de herniorrafia com uso da tela de polipropileno reduziu significativamente os casos de recidiva da hérnia. Isso porque essa estrutura reforça a musculatura no local que inicialmente estava fragilizado. Quando o tratamento da hérnia consistia em apenas fechar o orifício da hérnia, as chances de o problema ressurgir eram maiores.

Mesmo com o uso da tela, no entanto, pode ocorrer uma nova hérnia inguinal, no mesmo ponto ou em locais próximos, sendo importante ficar atento aos sintomas para realização de uma avaliação caso o problema retorne.

O tratamento da hérnia por meio da herniorrafia é seguro e eficaz, mas depende de um diagnóstico precoce para minimizar as chances de complicações. Sempre consulte um especialista para tirar suas dúvidas e obter um diagnóstico adequado.

Fontes:

Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões;

Hernia Clinic.