Fale conosco pelo WhatsApp

O que é hérnia inguinal estrangulada?

ilustração de como a hernia estrangulada é
10nov, 2021

Condição pode trazer riscos graves à saúde e precisa ser tratada com urgência.

Um dos tipos mais comuns de hérnia é a hérnia inguinal, em que um órgão interno se desloca através de um orifício (chamado de anel herniário) na parede abdominal e fica visível, como uma pequena saliência ou inchaço, debaixo da pele na região da virilha. As hérnias inguinais ocorrem devido a uma fraqueza na musculatura da parede abdominal. O problema é mais frequente em homens.

Existem dois tipos de hérnia inguinal:

– Hérnia inguinal direta: é mais comum nos adultos e idosos e geralmente ocorre por fraqueza na musculatura local. Esforços físicos que aumentam a pressão no abdômen podem acelerar o processo;

Hérnia inguinal indireta: é mais comum nas crianças e jovens, pois acontece por um problema congênito que permite a entrada de uma estrutura interna abdominal na região da virilha em direção ao saco escrotal.

Há casos em que o órgão faz o movimento para fora e volta para a cavidade abdominal. Em outras situações, um pedaço dele pode ficar preso, dando origem a uma hérnia inguinal estrangulada. Isso impede a circulação sanguínea e a oxigenação do órgão, podendo levar à necrose (morte do tecido).

Sintomas da hérnia inguinal estrangulada

Os principais sintomas de uma hérnia inguinal estrangulada são:

  • Dor intensa na região;
  • Vermelhidão;
  • Sensibilidade;
  • Calor local.

Outros sintomas associados que podem indicar um caso de hérnia inguinal estrangulada são: náuseas, vômitos, febre, ausência de fezes, distensão do abdômen e sensação de mal-estar. Nesse caso, é importante o paciente consultar o médico imediatamente.

Fatores de risco para hérnia inguinal estrangulada

Embora hérnias inguinais estranguladas possam ocorrer com qualquer pessoa e em qualquer idade, existem alguns fatores de risco que podem contribuir para sua ocorrência, como:

  • Encarceramentos da hérnia anteriormente
  • Esforços físicos como força para evacuar, Atividade física extenuante;
  • Aumentos na pressão intra-abdominal como tosse crônica, espirros, gravidez;

Pessoas que tiveram uma hérnia reparada no passado também podem ter mais chances de ter uma hérnia na mesma área anos depois.

Tratamento da hérnia inguinal estrangulada

A cirurgia de emergência é o único tratamento possível para a hérnia inguinal estrangulada. Caso ocorra demora na sua realização, pode haver necrose e ruptura do órgão estrangulado no interior da hérnia. Essa é uma situação de risco elevado, pois esse tecido morto libera toxinas e bactérias na corrente sanguínea, o que pode causar infecções, sepse e morte.

A necrose e a ruptura do órgão estrangulado tornam a cirurgia para tratamento da hérnia inguinal estrangulada mais complexa, pois será necessário mexer no orifício que permitiu o extravasamento dos tecidos antes de reposicionar as estruturas abdominais.

O procedimento é realizado sob anestesia geral. A cirurgia pode ser realizada de três maneiras:

  • Por via aberta (geralmente é a opção mais frequente);
  • Por laparoscopia;

Seja qual for o tipo de cirurgia escolhido, o primeiro passo é aumentar o orifício da hérnia inguinal estrangulada, para que a circulação melhore no local. Após isso, o cirurgião abre o saco herniário (interior da hérnia) para verificar a viabilidade dos tecidos estrangulados.

Nas situações em que os tecidos já necrosaram, eles precisam ser removidos. Na sequência, é feito o fechamento do anel herniário. Uma tela sintética pode ou não ser utilizada a depender das condições do local e quantidade de contaminação.

Cuidados no pós-operatório da cirurgia de hérnia inguinal estrangulada

Em geral, vai depender de como foi a cirurgia. Casos mais simples o paciente pode receber alta hospitalar até no dia seguinte ao da cirurgia.  Apenas nos casos em que já houve necrose e ruptura dos tecidos estrangulados o tempo de internação é maior.

Ao regressar para casa, o paciente deve ter alguns cuidados, especialmente durante as primeiras duas semanas, como:

  • Evitar dobrar o tronco até que a área operada esteja completamente cicatrizada;
  • Não segurar peso;
  • Aumentar o consumo de alimentos ricos em fibras, para evitar a prisão de ventre e o esforço para evacuar.

Com o tratamento adequado, realizado por um especialista capacitado, é possível evitar complicações quando ocorre uma hérnia inguinal estrangulada. Além disso, é importante procurar orientação médica caso o paciente identifique sintomas que possam indicar a presença de uma hérnia. Em casos de sintomas, entre em contato com a nossa clínica e faça uma avaliação.

Fontes:

Ministério da Saúde