Fale conosco pelo WhatsApp

Qual é o tratamento para hérnia epigástrica?

tratamento para hernia epigastrica
05maio, 2022

Tratamento para hérnia epigástrica é cirúrgico, mas existem diversas técnicas disponíveis. Saiba mais sobre os sintomas e diagnóstico da condição e como o tratamento é definido.

A avaliação especializada para definição do tratamento para hérnia epigástrica é fundamental para retomada da qualidade de vida do paciente acometido pela doença, especialmente quando o quadro gera sintomas e apresenta risco elevado de complicações.

A hérnia epigástrica consiste no extravasamento do conteúdo interno do abdômen por um orifício na parede abdominal na linha alba, a linha central do abdômen entre o umbigo e o tórax.

O Ministério da Saúde estima que entre 3 e 8% da população tenha algum tipo de hérnia abdominal, mas apenas 10% desses casos correspondem à hérnia epigástrica. A seguir saiba mais sobre as causas, sintomas e tratamento para hérnia epigástrica.

Quais as causas da hérnia epigástrica?

A hérnia epigástrica acomete, majoritariamente, homens entre 20 e 50 anos e é causada pelo enfraquecimento na camada firme da parede abdominal, resultando em uma frouxidão que leva ao surgimento do orifício pelo qual ocorre a hérnia.

As causas exatas do surgimento da hérnia epigástrica não são totalmente conhecidas, mas existem fatores de risco que aumentam a incidência da condição, tais como:

  • Obesidade;
  • Carregar peso frequentemente;
  • Tosse persistente;
  • Treino físico intenso;
  • Doenças do colágeno;
  • Uso contínuo de medicações que alteram a imunidade, como os corticoides.

Apesar desses fatores aumentarem a predisposição ao quadro, nem sempre os pacientes que têm esse estilo de vida são acometidos com a condição.

Sintomas e diagnóstico da hérnia epigástrica

O sintoma mais característico da hérnia epigástrica consiste no surgimento de um abaulamento ou um nódulo palpável, na linha média do abdômen, entre umbigo e tórax. A saliência pode ficar mais visível ao fazer força na região, como ao levantar peso ou tossir.

Também é possível sentir desconforto e dor no local, especialmente ao realizar atividade física intensa. Quando é mais visível, o diagnóstico da hérnia pode ser feito apenas com exame físico conduzido pelo médico especialista.

Em alguns casos, quando a hérnia é menos aparente, podem ser solicitados exames adicionais para confirmar o diagnóstico, como a ultrassonografia.

Não é incomum que a condição não gere prejuízos à qualidade de vida do paciente, entretanto, mesmo nesses casos, o diagnóstico e tratamento para hérnia epigástrica são necessários, pois com os anos ela pode crescer ou apresentar complicações.

As complicações mais comuns da hérnia epigástrica consistem no encarceramento ou o estrangulamento da hérnia, no qual o tecido fica preso e compromete a circulação sanguínea no órgão, demandando um tratamento para hérnia epigástrica com caráter de emergência.

Como é o tratamento para hérnia epigástrica?

O tratamento para hérnia epigástrica é necessariamente cirúrgico. Entretanto, o especialista pode recomendar monitoramento do quadro quando avaliar que não há riscos ao paciente.

Quando a cirurgia para hérnia é indicada, a técnica adotada no tratamento para hérnia epigástrica vai depender diretamente das particularidades do caso, como gravidade, tamanho da hérnia, idade do paciente etc.

Cirurgia aberta

A cirurgia aberta para tratamento da hérnia epigástrica já foi o principal recurso para lidar com a condição, mas tem sido menos usada atualmente com o advento da laparoscopia. Ela é recomendada para hérnias pequenas ou especialmente para situações de emergência quando ocorre por exemplo o encarceramento agudo da hérnia.

Nessa técnica, é feita uma incisão na parede abdominal para realocar o conteúdo extravasado no interior da cavidade do abdômen e então o orifício é fechado, podendo ser usada ou não uma tela cirúrgica para evitar a reincidência.

Cirurgia laparoscópica

Na cirurgia laparoscópica para hérnia, são feitas três pequenas incisões, de cerca de 0,5 a 1 cm cada, na região lateral do abdômen.

O especialista insere a câmera em um dos portais, permitindo uma visão interna do abdômen. Utiliza-se um gás para expandir as estruturas e a correção da hérnia é conduzida com o manuseio dos instrumentos cirúrgicos pelo cirurgião usando as demais incisões.

Trata-se de uma técnica menos invasiva que pode demandar também o uso da tela cirúrgica. Um dos benefícios é a menor invasão e consequentemente um pós-operatório com recuperação mais rápida.

Cirurgia robótica

A cirurgia robótica difere-se da laparoscópica apenas pelo fato de os instrumentos cirúrgicos serem manuseados por um robô, guiado pelo cirurgião do aparelho digestivo.

Além da recuperação, outro benefício dessa técnica consiste na maior precisão dos movimentos cirúrgicos, o que pode contribuir na execução de determinadas manobras durante a cirurgia.

Portanto, apesar de o tratamento para hérnia epigástrica ser sempre cirúrgico, existem diversas abordagens, sendo que apenas o especialista pode fazer o diagnóstico da condição e indicar a conduta mais apropriada ao caso.

Entre em contato conosco para saber mais sobre o tratamento para hérnia epigástrica.

Fontes:

Hérnia Clinic;

Hospital Sírio Libanês.