Fale conosco pelo WhatsApp

Qual é o tratamento para hérnia inguinal?

Utensílios para cirurgia de hérnia inguinal em uma mesa
15set, 2020

Com a suspeita ou diagnóstico da condição, logo surge a pergunta sobre qual o tratamento para hérnia inguinal. É preciso adiantar que a patologia sempre exige uma correção cirúrgica, embora o procedimento possa ser minimamente invasivo.

Ainda que a preocupação quanto ao tratamento para hérnia inguinal seja comum, técnicas modernas garantem uma cicatriz discreta e recuperação rápida. Mas antes de entender sobre os procedimentos cirúrgicos, é fundamental que você entenda melhor o que é a hérnia e como identificá-la.

Como identificar a hérnia inguinal?

A hérnia inguinal consiste em uma protuberância que surge na região da virilha ou do saco escrotal em decorrência de um extravasamento de órgãos internos por um orifício que surge na parede abdominal.

Em geral, a condição é causada pela abertura de um orifício em uma área de fraqueza muscular na parede abdominal, podendo ser intensificada por questões como tosse crônica, constipação intestinal, problemas de próstata e outras situações.

Além disso, é possível que o problema seja causado por uma má formação congênita na qual o bebê já nasce com uma abertura na parede abdominal. Nesses casos, a condição pode se manifestar já nos primeiros meses ou anos de vida.

A principal forma de identificar a hérnia inguinal é verificar a presença de uma protuberância na região da virilha ou saco escrotal. Ela pode ser mais aparente ao fazer esforço físico, como levantar peso nos adultos, ou chorar nos bebês.

Nem sempre a hérnia inguinal está acompanhada de dores intensas, mas pode haver um desconforto na região. Em casos mais graves, pode surgir uma dor intensa que irradia até os testículos, endurecimento da região, náuseas e vômitos, o que demanda uma avaliação de urgência.

Qual o tratamento para hérnia inguinal?

Caso o diagnóstico de hérnia seja confirmado por um especialista, o médico avaliará qual o tratamento para hérnia inguinal mais apropriado de acordo com a gravidade do caso, o estado de saúde do paciente, idade, características da hérnia, entre outros fatores.

Existem três técnicas cirúrgicas que podem ser usadas para hérnias na parede abdominal, considerando a indicação do especialista de acordo com o caso. São elas:

  • Cirurgia aberta;
  • Cirurgia por laparoscopia;
  • Cirurgia robótica.

Entenda como cada uma delas é feita:

Cirurgia aberta

A cirurgia aberta para tratamento da hérnia inguinal é a conduta mais antiga, pois exige uma incisão cirúrgica no local para acessar a região. Nesse caso pode ser usada a anestesia local com sedação, raqui anestesia ou anestesia geral.

Na técnica, o cirurgião reinsere o conteúdo do intestino novamente dentro da parede abdominal, fecha o orifício e, normalmente, reforça a região usando uma tela cirúrgica. Em seguida, a incisão é fechada e o paciente terá alta hospitalar logo que apresentar estabilidade no quadro.

Normalmente, essa conduta cirúrgica é usada em casos em que a cirurgia minimamente invasiva está contraindicada, ou em casos mais graves quando a hérnia está encarcerada ou estrangulada.

Por ser mais invasiva, essa técnica tem um período de recuperação um pouco mais extenso, mas, em geral, não apresenta complicações pós-operatórias e tem bons resultados.

Cirurgia laparoscópica

Um tratamento para hérnia inguinal menos invasivo é a cirurgia laparoscópica. Nesse caso, utiliza-se a anestesia geral para promover intenso relaxamento muscular.

São realizadas pequenas incisões cirúrgicas apenas para que seja possível inserir os instrumentos. Em um deles, é inserida uma câmera para que o cirurgião possa visualizar as estruturas internas e executar a correção da hérnia.

As etapas seguintes são as mesmas, com a recolocação do intestino dentro da parede abdominal e reforço com tela cirúrgica.

Por ser uma técnica menos invasiva, o tempo de recuperação e retorno as atividades do dia a dia são menores.

Cirúrgica robótica

A opção mais moderna de cirurgia de tratamento para hérnia inguinal é a robótica. Muito semelhante à cirurgia laparoscópica, a principal diferença é que a execução é feita por um robô controlado pelo cirurgião.

Por também ser minimamente invasiva, essa cirurgia tem uma recuperação rápida, semelhante à laparoscopia.

Portanto, ainda que o tratamento para hérnia inguinal seja sempre cirúrgico, técnicas modernas garantem mais segurança e conforto ao paciente.

Fontes:

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva;

Sociedade Brasileira de Hérnia e Parede Abdominal.