Fale conosco pelo WhatsApp

Quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual?

imagem ilustrativa
08jul, 2022

A hérnia inguinal acomete a região da virilha e demanda cuidados em relação aos esforços físicos. Confira se as relações sexuais são permitidas.

Ser diagnosticado com uma patologia traz preocupações e questionamentos acerca das causas, tratamento e, sobretudo, como essa condição irá afetar o seu dia a dia. Em casos de hérnia inguinal, a mais comum entre as hérnias abdominais, alguns cuidados precisam ser adotados para garantir o bem-estar e o sucesso do tratamento desse paciente. E muitas pessoas que sofrem com a condição se perguntam: “quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual?”.

Além de respondermos a essa questão, buscamos esclarecer algumas dúvidas de maior recorrência entre os pacientes diagnosticados com hérnia inguinal. Se quer saber se quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual, continue a ler esse conteúdo.

O que é hérnia inguinal?

A hérnia inguinal é uma protusão, isto é, uma protuberância que surge na região da virilha, próxima ao púbis. Em virtude de sua proximidade aos órgãos sexuais, é comum, nos consultórios, o questionamento de se quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual ou não.

Devemos esclarecer que esse abaulamento aparece por conta de uma falha na parede abdominal, o tecido responsável por manter nossos órgãos dentro da cavidade abdominal. Desta forma, uma ruptura surge na região, possibilitando a saída de algum órgão ou gordura interna.

A hérnia inguinal é cerca de 8 a 10 vezes mais frequente no público masculino, e sua causa pode ser congênita ou adquirida. No primeiro caso, uma condição genética leva ao não fechamento do caminho de descida do testículo e suas estruturas em direção ao saco escrotal, gerando uma abertura por onde surge a hérnia.

Já as hérnias inguinais adquiridas acontecem pelo desgaste da musculatura da parede abdominal, que pode acontecer em decorrência do avançar da idade, do esforço repetitivo ou da prática de esportes de alto impacto.

Saber se quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual é uma resposta que virá após o diagnóstico com o médico especialista em hérnia, analisando as individualidades e riscos de cada paciente.

Afinal, quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual?

Portadores da hérnia inguinal são sempre direcionados para o tratamento cirúrgico da doença, dado que apenas essa intervenção é capaz de reforçar a cavidade abdominal e controlar possíveis complicações que podem surgir no futuro próximo.

Porém, aqueles que aguardam pela cirurgia ou que não podem realizá-la nesse momento têm dúvidas em relação aos hábitos que podem seguir enquanto possuem o abaulamento na região inguinal.

Entre as principais recomendações, salientamos que o paciente deve evitar atividades que demandem esforço físico. A pressão interna causada por exercícios de alto impacto, ou repetitivos, é um dos principais fatores de complicação da hérnia, contribuindo para o aumento do seu volume e até mesmo para evoluções graves, como o encarceramento da hérnia ou o estrangulamento das alças intestinais.

Abordando outras atividades, quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual, desde que se evite o desgaste físico no ato e que o paciente se mantenha atento às possíveis dores e desconfortos que possa sentir na região.

Desta forma, quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual, como também está liberado para buscar exercícios de baixa intensidade ou força, desde que não tenha dores. Esse é um cuidado que auxiliará no controle do sobrepeso e melhora da qualidade de vida.

Lembrando sempre que a liberação para as relações sexuais ou práticas de atividades físicas deve ser combinada com o seu médico responsável. Apenas um profissional poderá avaliar os riscos e as individualidades do seu caso, reforçando sempre que a terapia recomendada é a cirurgia de hérnia.

Tratamento para hérnia inguinal

Falamos bastante sobre a importância da cirurgia de hérnia inguinal para o tratamento da doença, e esse procedimento independe da gravidade do paciente, pois existem casos assintomáticos, por exemplo, que não experienciam dores ou desconfortos, e os pacientes acreditam que não precisam passar pela cirurgia.

Mesmo quando confirmamos que quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual e pode, inclusive, praticar atividades sem impacto, a hérnia não deixa de ser uma ruptura em uma estrutura importante para a sustentação dos órgãos internos, que continuará evoluindo, uma vez que a tendência, com o passar do tempo, é que os músculos da cavidade abdominal se enfraqueçam.

A cirurgia de hérnia inguinal é um procedimento considerado simples e de baixo risco. Ela pode ser realizada em ambiente hospitalar ou ambulatorial, e o paciente é liberado para recuperação em casa, muitas vezes, no mesmo dia do procedimento.

Essa intervenção pode ser realizada em três técnicas diferentes, mas que possuem a mesma finalidade: ocluir o defeito com uma tela de sustentação no local da protrusão, segurando, assim, os órgãos na região interna. Essas técnicas são:

  • Cirurgia aberta;
  • Cirurgia laparoscópica;
  • Cirurgia robótica.

E é importante frisar que a escolha da técnica ficará a cargo do médico cirurgião do aparelho digestivo, tendo em vista que elas buscam atender as particularidades e necessidades de cada paciente.

Relações sexuais e outros cuidados após a cirurgia

Quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual cerca de 10 a 15 dias após o procedimento cirúrgico, sempre a partir do acompanhamento da sua evolução pelo médico responsável.

Mesmo que o paciente seja liberado para suas atividades cotidianas, como trabalhar ou dirigir, é de suma importância que ele evite atividades que demandam esforço físico ou levantamento de peso nas primeiras duas semanas após o procedimento.

O ideal é que no primeiro mês após a cirurgia o paciente evite carregar pesos acima dos 10kg e retorne para a prática de exercícios somente após liberação do seu médico. Conforme vimos, quem tem hérnia inguinal pode ter relação sexual, desde que evite o esforço físico e fique atento aos sinais de alerta, tais como vômitos, náuseas, tosses e febre, buscando urgentemente a ajuda profissional, seja antes ou após o procedimento cirúrgico.

Para mais informações sobre hérnias, entre em contato agora mesmo e agende sua consulta.

Fontes:

Hernia Clinic

Ministério da Saúde